Me siga pelo email - Follow by Email

domingo, 18 de abril de 2010

Eu nunca..

Nunca tive muita sorte. Nunca ganhei nada de ninguém que não fosse no dia do meu aniversário, presentinhos do tipo 'me lembrei de você', sabe, aqueles que você passa, vê, lembra de alguém, pode ser sei lá, uma florzinha roubada surrupiada do vizinho (como eu faço sempre com as pessoas).. Mais nova, sempre me achei sem graça, por isso, ficava calada, preferia escutar, do que falar. Nunca achei que o gatinho da escola olharia pra mim. (Nesse quesito me enganei, o gatinho tá comigo a 8 anos, mas isso não vem ao caso agora) voltando ao assunto... Agora depois de grandinha aprendi a driblar essas coisas, se você finge que é segura e tal, todo mundo acredita. Nada na minha vida veio de mãos beijadas, fácil, tudo que tenho, ou melhor, o pouco que tenho, foi suado, desde criança era assim, minha irmã ganhava dinheiro do meu pai e se eu pedisse Meu Deus era o maior esporro.. Até hoje é assim. Me acostumei. Aprendi a trabalhar cedo. Não gosto de chorar meus problemas para os outros. Se você me olhar, vai achar que sou extremamente segura e que não tenho problemas. Claro, às vezes não sou de ferro, e sei que posso chorar no ombro de um ou dois amigos, no máximo.. Mas prefiro chorar sozinha, no meu canto, no meu travesseiro. Porque amigos estão em extinção. Posso ter um problema maior que o seu, mas se você chegar perto de mim com algum problema vai me encontrar de sorriso no rosto, pronta pra te ouvir, como se eu não tivesse problemas. Gosto de gente que tem um coração que pulsa, que chora, que se encanta. Me identifico com pessoas carinhosas, com pessoas que guardam lembranças e as dividem com você. Acho que deve ser muito triste não ter uma história pra contar, histórias de coisas mínimas, mas que seja a sua história, que tenha significado pra você, porque nossas histórias só tem significados para gente mesmo. Não me identifico com pessoas que não tem um coração que vibra, sabe aquela pessoa que não divide nada, você nunca sabe se ela tá triste, tá feliz, se tá com saudade, se tá com dor de barriga, oww, a pessoa não tem a menor expressão emocional, isso me irrita! e se for alguém muito próxima a mim, me decepciona ela não deixar ninguém perceber quem é ela de verdade. Sim, porque sentimento seja qual for demonstra no mínimo sua reação e como você é perante aquela situação, seja ela qual for. Pessoa fria, me deixa perplexa, desacreditada, incrédula com o ser humano. Quebro a cara sempre, por isso. O que mais temos a nossa volta são pessoas calculistas, que só se preocupam com o próprio umbigo. Triste. Mas fico feliz por conviver com pouquíssimas (quero dizer 1 ou 2) pessoas que quando chegam perto de mim, dizem: " Me dá uma abraço?! Tava com saudade de você!".. é muito bom sentir que você faz a diferença pra alguém, que ela tem consideração por você. Quem não gosta de se sentir querido?! .. sei lá, as vezes tem algum doido por aí, neh?!
Não gosto de estar sozinha, de me sentir sozinha. 
É como um dia frio de outono. Vento nos cabelos, paisagem seca. 
É como uma foto em preto e branco. Sem vida.



Saudade demais, me tira do eixo.
Preciso de um abraço.
De colo. De você.



Namastê.
Preta




.

2 comentários:

Francis disse...

Que espelho esse texto ,
Muito bom.
Parabéns !
ó nois aki ! xD

Preta Lopes disse...

:D